Tudo que você precisa saber sobre DAOP

Tudo que você precisa saber sobre DAOP

A doença arterial obstrutiva periférica (DAOP) é a obstrução do fluxo de sangue em uma artéria das pernas ou, mais raramente, dos braços.

Pode ter sintomas agudos, isto é, imediatos, ou crônicos, com o tempo, dependendo se o entupimento da artéria for ocasionado por uma obstrução imediata por êmbolos ou pela obstrução de placas de gordura (ateroscleróticas) ao longo do tempo.

Apresenta uma prevalência de 10 a 25% na população acima de 55 anos, sendo que aumenta com a idade. O mais grave é que aproximadamente 80% dos pacientes não apresentam sintomas. Dentro desses números, a causa mais frequente de DAOP é a aterosclerose.

Qual a causa dessa doença?

Os fatores de risco que podem favorecer a formação dos ateromas – composto em maior parte por gorduras, mas também por proteínas, cálcio e células de inflamação – são:

  • Colesterol elevado
  • Diabetes
  • Doença cardíaca (doença coronariana)
  • Pressão arterial alta (hipertensão arterial sistêmica)
  • Fumo
  • Sedentarismo
  • Obesidade
  • Idade avançada

 

Quais os sintomas?

O sintoma mais comum da DAOP é a claudicação, isto é, dor nas pernas quando realizam atividades como caminhadas, e cessa com o repouso. Os sintomas da claudicação podem ficar mais severos de acordo com o grau de obstrução, qual é a artéria afetada e o nível de atividade física que a pessoa realiza.


Como é feito o diagnóstico?

Depois de aferir a pressão em diferentes partes da perna ou braço do paciente ainda em consulta, a confirmação se dá através de exames de imagem.
O método mais seguro de obter o diagnóstico de DAOP é avaliando exames como o Eco-Doppler, que podem ser feitos aqui mesmo, na Clínica Vena.

O que posso fazer para diminuir meus riscos?

  • Pare de fumar
  • Controle os níveis de sua diabetes, hipertensão e colesterol;
  • Pratique atividades físicas, na intensidade recomendada por seu médico;
  • Mantenha seus exames preventivos em dia;

 

Que tratamentos existem para DAOP?

Existe o tratamento conservador, que alia medicações e mudanças no estilo de vida.
E, quando se faz necessário, existem as opções cirúrgicas:

Angioplastia ou Stent: O cirurgião passa um fino tubo com um balão inflável pela artéria até chegar na parte ocluída e, em seguida, infla o balão com a finalidade de desobstruir o fluxo, trancado pela placa aterosclerótica.

Ponte: Nele o cirurgião irá remover uma parte de um vaso sanguíneo, geralmente a veia safena, de outra parte do corpo e colocá-lo na região da artéria obstruída com a finalidade de fazer um novo canal para o sangue chegar ao membro afetado pela DAOP.

Se você já foi diagnosticado, mantenha o tratamento recomendado pelo seu médico.
Se você tem dúvidas, agende sua consulta clicando aqui.

Texto adaptado do original publicado no portal Vitallogy.
Autor: Prof. Dr. Vinicius Lain
Co-autor: Acadêmico de Medicina Matheus Machado Rech

Referências:

Patient education: Peripheral artery disease and claudication (The Basics), Uptodate, 2019.

Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular, 2019.

 

No Comments

Post A Comment