Varizes: tratamentos e pós-operatório

Varizes: tratamentos e pós-operatório

As varizes se constituem na deformação de veias resultando em prejuízos no seu funcionamento e até mesmo interrupção total de circulação sanguínea através delas. A maioria delas é visível através da pele, sendo possível ao paciente verificar por conta própria os novos formatos que as veias doentes adquirem.

A ocorrência de varizes é muito mais comum do que se imagina, uma vez que acontecem sob influência de idade e modo de vida do paciente. Uma pessoa que pratica exercícios físicos, por exemplo, tem menos chance de desenvolver varizes do que uma pessoa sedentária. Mas como o fator genético e outros fatores também interferem, não há um método preventivo que vá garantir com 100% de certeza que o problema vascular não se desenvolverá.

Embora possam surgir em outros pontos do corpo, como na região do nariz, o lugar mais comum para o aparecimento de varizes é as pernas. Isso se deve ao próprio efeito da gravidade que coloca mais pressão da circulação sanguínea nos membros inferiores. É por essa razão que pessoas que passam muito tempo de pé tendem a desenvolver varizes e podem deixar de sentir os sintomas quando deitadas, pois a pressão se equilibra no corpo inteiro.

 

Varizes sem sintomas

Não é incomum que um paciente de varizes não sinta qualquer sintoma físico. Isso se deve porque nem sempre, nos estágios iniciais, causa dores, inchaços e comichões, ou então porque o paciente não associou possíveis dores no corpo à incidência de varizes.

Entretanto, por serem, em sua maioria, bastante visíveis na pele, a identificação deste problema vascular acontece facilmente mesmo sem dor, e o fato de não apresentarem quadros de sofrimento físico não significa que não irão evoluir para quadros mais graves.

Por esse motivo é extremamente importante buscar um especialista tão logo surjam as marcas na pele, em especial se houver propensão genética – em que mudanças de hábitos não contribuirão para o retardo da evolução do quadro – garantindo um tratamento precoce e eficaz.

 

Tratamento

Existem algumas opções de tratamento em conformidade com o tipo de varizes e o estágio de evolução da mesma. Para nossos pacientes, realizamos os seguintes procedimentos:

– Escleroterapia

É também conhecida como secagem da veia ou aplicação em vasinhos. Pouco invasivo, não se trata de um procedimento cirúrgico e é feito através da aplicação de um líquido esclerosante na veia por injeção. O resultado da aplicação é a fibrose da veia, ou seja, seu secamento.

Esse procedimento, além de simples e rápido, é feito diretamente no consultório e não interrompe as atividades do paciente, exigindo somente o uso de meias elásticas por um período.

Entretanto, mesmo simples, o procedimento pode apresentar aspectos negativos, como surgimento de manchas na pele e desconforto em baixo grau. Esse tratamento também não pode ser realizado por pacientes que já sofreram trombose venosa – coágulos nas veias – grávidas e pacientes alérgicos ao líquido esclerosante.

– Escleroterapia com espuma densa

Assim como o anterior, é um procedimento feito no próprio consultório, sem necessidade de anestesia ou internação. A diferença entre este procedimento e o anterior é que neste o líquido é misturado com ar ou outro gás, formando uma espuma densa que é injetada na veia doente.

Esse procedimento é indicado para veias de maior espessura, cujo líquido não é o bastante para o secamento.

– Microcirurgia

Embora seja considerando um procedimento cirúrgico, é feito no consultório e exige apenas anestesia local.

Neste procedimento, um corte minúsculo é aberto para a remoção da veia doente. Sem necessidade de pontos, o paciente só precisará fazer uso de meias elásticas.

– Laser ou radiofrequência

Indicado para veias de maior calibre, consiste na colocação de um cateter no interior da veia doente e liberando calor para sua cauterização. Embora mais invasivo que os anteriores, evita a incisão na virilha e exige somente anestesia local.

O tratamento se completa com a remoção das demais veias que não podem ser tratadas por esse método.

 

Pós operatório

Como qualquer procedimento que afete as veias, é natural que apareçam pequenos hematomas e desconforto por um curto período. Nenhum deles é considerado uma complicação.

Entretanto, como qualquer outro tratamento dessa natureza, o paciente pode apresentar sequelas como hemorragia, trombose e cicatrizes salientes. Todos esses casos devem ser comunicados ao médico responsável.

Tanto os procedimentos posteriores quanto a recuperação deverá ser orientada pelo médico porque seguirão as características específicas de cada paciente. Por essa razão, é de extrema importância que o paciente não siga recomendações de terceiros ou informações generalizadas. O médico que realizou o procedimento é quem deve acompanhar a evolução do quadro.

 

IMPORTANTE: é fundamental uma avaliação com especialista. Materiais disponíveis na internet são informativos, não devendo ser utilizados para autodiagnóstico e menos ainda para tratamento. Sempre procure o médico de sua preferência.

Em caso de dúvidas, agende sua consulta com nossos especialistas:

No Comments

Post A Comment